Cinema & TV

Na pele de um motociclista, Bruno Gagliasso estreia em “Sol Nascente” e conta ao HT sobre seus projetos paralelos como empresário: “É um hobby”

Na trama das 18h, que tem como enredo a relação de amizade entre os povos imigrantes do Japão e da Itália no Brasil, o ator destacou a importância do carinho nos dias de hoje. "Estamos em um momento em que se precisa, cada vez mais, falar sobre amor e sentimentos puros"

Publicado em 29 de agosto de 2016 | Por Julia Pimentel

Sempre lindo, Bruno Gagliasso está de volta ao horário das 18h. Em seu novo trabalho, o Mário de “Sol Nascente”, o ator não nega o seu lado galã. Na trama escrita por Walther Negrão, Suzana Pires e Julio Fischer, Bruno será um motociclista mulherengo que, no desenrolar da trama, se descobre apaixonado pela amiga de infância Alice (Giovanna Antonelli). Ansioso para a estreia da novela nesta segunda-feira, Bruno Gagliasso contou ao HT que, apesar de ter mais de 20 trabalhos na carreira televisiva, a tensão antes do lançamento é inevitável. “Como todo trabalho, a ansiedade está a mil. Impossível não ficar assim. Mesmo já tendo feito vários outros trabalhos, é como se fosse a primeira vez que estreio uma novela”, disse Bruno, que completou contando que está sendo um prazer fazer parte da equipe de “Sol Nascente”. “É um personagem muito gostoso e a novela está linda. Tenho muito orgulho deste trabalho. Eu precisava de um papel assim depois de interpretar duas pedreiras”, afirmou o ator em referência aos seus personagens em “Babilônia” e “Dupla Identidade”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Em uma trama rodeada de amor, que irá tratar sobre a relação de amizade entre os povos japoneses e italianos no Brasil, Bruno Gagliasso ainda destacou a importância de falarmos sobre carinho e respeito. Em tempos de cólera na sociedade, o ator acredita que “Sol Nascente” irá ocupar esse vazio presente nas relações do cotidiano. “Estamos em um momento em que se precisa, cada vez mais, falar sobre amor e sentimentos puros. É bom e é muito importante que a gente aborde estas questões. Está na hora”, argumentou o ator que recentemente sofreu críticas por ter adotado uma menina da África e não do Brasil. “Rótulos não definem o que é ser pai. O que define um pai é o amor”, disse Bruno Gagliasso em uma ação de Dia dos Pais para uma operadora de telefonia.

Bruno Gagliasso com a filha Titi e a mulher Giovanna Ewbank (Foto: Reprodução)

Bruno Gagliasso com a filha Titi e a mulher Giovanna Ewbank (Foto: Reprodução)

Apesar da dedicação à nova novela das 18h da Globo e, principalmente, à pequena Titi, filha adotiva com a atriz Giovanna Ewbank, Bruno Gagliasso nos contou que ainda possui tempo para os negócios. Em paralelo à carreira artística, Bruno também assume a posição de empresário no grupo +55. “Trabalhar com os negócios é um hobby e eu adoro. Nessa função, eu tenho o Burger Joint, que é uma hamburgueria em São Paulo que já tem duas filiais. Até o começo do ano que vem, nós ainda vamos inaugurar mais três lojas, inclusive no Rio de Janeiro. Ainda na questão culinária, também administro o Bagatelle, restaurante francês no Rio de Janeiro, a padaria Santo Pão, em São Paulo, e o restaurante orgânico Le Manjue, também na capital paulistana. E, até o final de setembro, também vamos inaugurar uma pousada em Fernando de Noronha”, listou. Que sucesso!

 

Pesquisas relacionadas