Teatro & Pensata

Em cartaz como a Branca de Neve do século XXI em “5x Comédia”, Debora Lamm ressalta a importância da cultura na sociedade: “A arte é fundamental”

Para a atriz, a arte é uma aliada que permite abordar questões mais sérias de uma forma mais leve e agradável. "Nós temos que conseguir dialogar sobre temas urgentes e necessários de forma com que isso não seja chato"

Publicado em 7 de outubro de 2016 | Por Julia Pimentel

Branca de Neve com vestido amarelo, capa vermelha, cestinha, sete anões e cabelo ruivo. Ruivo? Sim, leitores. Na arte pode tudo. Em cartaz com o espetáculo “5x Comédia” no Teatro Oi Casagrande, no Leblon, até o fim do mês, Debora Lamm interpreta a Branca de Neve versão 2016. Em um texto divertidíssimo de autoria de Julia Spadaccini, a atriz combina a fantasia da primeira princesa criada pela Disney com as temáticas da nossa atual sociedade. “É uma Branca de Neve que tenta ser moderna, contemporânea e se apropriar do discurso do empoderamento feminino, mas não consegue. Por ela ter sido criada há 100 anos, a Branca não acha uma solução para se adaptar à atualidade e acaba passando por esse drama de se sentir fora de moda e ter a sua popularidade ameaçada”, explicou.

Debora Lamm como a Branca de Neve contemporânea (Foto: AgNews)

Debora Lamm como a Branca de Neve contemporânea (Foto: AgNews)

A peça “5x Comédia”, que desta vez também tem Bruno Mazzeo, Fabiula Nascimento, Lúcio Mauro Filho e Thalita Carauta no elenco, foi remontado pela diretora Monique Gardenberg após o estrondoso sucesso nos anos 1990. Há 20 anos, o espetáculo dirigido por Hamilton Vaz Pereira, que assina a codireção da nova montagem, reuniu milhares de pessoas em três diferentes versões. Ainda adolescente nesta época, Debora Lamm contou ao HT que se recorda do dia em que foi assistir ao espetáculo no Canecão. “Eu lembro que todos os meus amigos já tinham visto e eu estava ficando para trás. Mas eu me diverti muito, ri do começo ao fim”, relembrou a atriz que naquela época ainda não tinha decidido a profissão que seguiria. “Eu sofri uma pressão dos meus colegas de escola e dos pais dos meus amigos de que eu deveria ser atriz. Mas eu não gostava dessa situação deles ficarem palpitando. Então, quanto mais falavam para eu ser atriz, menos eu queria ser. Sou aquariana, ?”, brincou Debora que, três anos depois de assistir ao espetáculo, seguiu na carreira artística. Ainda bem!

Ainda adolescente, Debora acompanhou a versão anterior de "5x Comédia" no Canecão (Foto: AgNews)

Ainda adolescente, Debora acompanhou a versão anterior de “5x Comédia” no Canecão (Foto: AgNews)

Embora tenha sido por coincidência, já que a diretora Monique Gardenberg garantiu que nenhum autor recebeu um tema ou um assunto a ser abordado nos textos, os cinco contos do espetáculo apresentam alguns traços em comum. Entre eles, está o empoderamento feminino, muito presente na narrativa interpretada por Debora Lamm. Para a atriz, que também faz graça com o uso exagerado do remédio Rivotril em sua passagem, a arte é a arma certa para levantar discursos que poderiam ser mais difíceis em uma conversa casual. Como afirmou ao HT, o debate é o papel fundamental da arte e da cultura. “Nós temos que conseguir dialogar sobre temas urgentes e necessários de forma com que isso não seja chato. Ou seja, transformamos assuntos que precisam ser debatidos na forma mais maravilhosa de se falar sobre isso. Na prática, a gente junta lazer e pensamento”, argumentou.

Debora Lamm (Foto: Reprodução)

Debora Lamm (Foto: Reprodução)

E não é só em “5x Comédia” que Debora Lamm apresenta a sua graça e interpretação. Além de estar no ar todo sábado na nova versão do Zorra, na Globo, a atriz se prepara para rodar dois longas ainda esse ano e estrear um monólogo no início de 2017. “No cinema, eu vou fazer o filme “Chocante” com o Bruno Mazzeo que fala sobre um grupo de rock dos anos 1980 e ‘Como É Cruel Viver Assim’, com direção de Júlia Rezende e minha companheira Fabiula Nascimento no elenco. Já no teatro, em janeiro eu estreio um solo baseado em “Medeia”, com texto de Grace Passô e direção de Inez Viana”, contou.

Além do espetáculo que está em cartaz no Teatro Oi Casagrande, a atriz ainda tem projetos para a tevê, cinema e teatro (Foto: Reprodução)

Além do espetáculo que está em cartaz no Teatro Oi Casagrande, a atriz ainda tem projetos para a tevê, cinema e teatro (Foto: Reprodução)

Porém, apesar dos diversos trabalhos e projetos artísticos, Debora Lamm confessou ao HT que não está muito fácil produzir cultura no Brasil. Para a atriz, o panorama atual pelo qual estamos passando é “preocupante”. “É visível que a gente atravessa um momento muito crítico em relação à cultura e a todo o resto. E isso me deixa muito triste e preocupada, porque eu não acredito em um país que não priorize a arte como elemento básico, assim como educação e saúde. Afinal, o que nos representa além das nossas fronteiras é a cultura brasileira e a natureza. Eu acho que a arte é algo fundamental e que precisa ter essa importância reconhecida”, afirmou a atriz Debora Lamm.

 

Pesquisas relacionadas