Teatro & Pensata

Com o musical “Garota de Ipanema – o Amor é Bossa”, Teatro Riachuelo Rio abre suas portas em prédio histórico: “É um grande sonho realizado”, diz Calainho

Com Thiago Fragoso e Letícia Persiles como o casal protagonista da produção, o espetáculo costura canções marcantes do gênero, que despontou o cenário cultural do Brasil para o mundo, com muito charme, humor e elegância. Com texto de Thelma Guedes, a peça é embalada por clássicos de Tom Jobim e Vinícios de Moraes

Publicado em 24 de agosto de 2016 | Por Leonardo Rocha

Uma noite memorável para os amantes do teatro e da nossa cultura popular brasileira. Com o musical “Garota de Ipanema – O Amor é Bossa”, o antigo e histórico prédio do Cine Palácio reabriu suas portas totalmente revitalizado, depois de uma obra que durou exatos oito anos, batizado hoje de Teatro Riachuelo Rio. A construção, cravada no Centro da urbe, ostenta arquitetura imponente e chama atenção, não só pelo luxo, mas também pela modernidade e qualidade de som e iluminação. Para brindar essa grande estreia, a casa abriu suas cortinas para o espetáculo dirigido por Gustava Gasparani e, como não poderia ser diferente, diversos famosos marcaram presença na reabertura deste espaço que promete ser o novo berço da cultura carioca. Nós, do HT, estávamos lá e te contamos tudo o que aconteceu. Vem!

Leticia Persiles e Thiago Fragoso no "Garota de Ipanema - o Amor é Bossa" (Foto: Felipe Panfili)

Leticia Persiles e Thiago Fragoso no “Garota de Ipanema – o Amor é Bossa” (Foto: Felipe Panfili)

Durante uma sessão fechada para convidados, Luiz Calainho, Aniela Jordan e Fernando Campos, idealizadores do projeto e integrantes da produtora Aventura, falaram inúmeras vezes a palavra “sonho” para definir a realização do ambicioso projeto. “A gente está feliz, honrado e ultra empolgado de está realizando esse sonho, porque, afinal de contas, está nascendo um novo teatro na cidade do Rio. É um prédio histórico que tem mais de 100 anos e hoje a gente tem o privilégio de devolver esse presente aos cariocas. Ainda mais nesse momento pós-olímpico, que foi tão especial para todo mundo. É um grande sonho realizado”, comemorou Calainho, que ainda relembrou o marco da bossa nova no nosso país e no exterior. “Eu conheço o nosso Roberto Menescal desde 1977. A gente viajava muito na época de juventude, então essa conexão com a bossa nova vem lá de trás, fora que veio da minha família também”, recordou o empresário.

Fernando Campos, Aniela Jordan e Luiz Calainho (Foto: Felipe Panfili)

Fernando Campos, Aniela Jordan e Luiz Calainho (Foto: Felipe Panfili)

E falando em bossa, a escolha do musical “Garota de Ipanema” não poderia ter sido mais assertiva. Com Thiago Fragoso e Letícia Persiles como o casal protagonista da produção, o espetáculo costura canções marcantes do gênero, que despontou o cenário cultural do Brasil para o mundo, com muito charme, humor e elegância. Com texto de Thelma Guedes, a peça é embalada por clássicos de Tom Jobim e Vinícios de Moraes como “Dindi”, “Wave”, “Chega de Saudade”, “Ela é Carioca”, “Samba do Avião” e claro, “Garota de Ipanema”, se tornando uma deliciosa viagem no tempo. Tempo esse que também foi marcado pela ditadura militar, a guerra do Vietnã, libertação feminista e crises políticas. Tudo contado na peça.

Musical "Garota de Ipanema" (Foto: Felipe Panfili)

Musical “Garota de Ipanema” (Foto: Felipe Panfili)

Na produção, Thiago Fragoso vive Zeca, um rapaz da zona sul do Rio que se apaixona por Deolinda (Letícia Persiles), uma garota casada com um militar e residente do bairro do Méier. Entre muitas idas e vindas, a música é o principal fator que acaba unindo o casal. “Foi uma super emoção. Foi uma estreia cheia de significados, já que também marca a abertura desse teatro. A peça faz esse apelo ao Rio imaginário que a gente tem da década de 50 e 60, que era um Rio lúdico e tão simbólico. A bossa foi um movimento que exportou nossa cultura para o mundo e exalta a beleza, o amor e a positividade, coisas que a gente tem deixado muito de lado nos dias de hoje”, comentou o ator, que ainda revelou ser um apaixonado pelo ritmo. “Meus pais sempre gostavam de bossa nova e tocavam no violão pra mim. Foi fácil mergulhar nessa história, porque eu tenho uma memória afetiva muito grande com o movimento. Mas falando do Zeca, ele é um cara apaixonado, que faz da música a sua grande arma”, avaliou ele. Apesar de serem personagens fictícios, Tom e Vinícios ganham espaço no conturbado romance entre Zeca e Deolinda.

Elenco e produção do musical (Foto: Felipe Panfili)

Elenco e produção do musical (Foto: Felipe Panfili)

Entre os convidados da plateia, o diretor de novelas Jorge Fernando relembrou os tempos que frequentava o antigo Cine Palácio. “Esse teatro veio na hora certa e é um espaço que me trás várias recordações. Lembro quando vinha ver filmes com mamãe aqui. Eu assisti a grandes produções no Palácio. Um teatro desse porte ser lançado no coração do Rio e um Rio que está crescendo culturalmente é incrível”, avaliou. Já Marcelo Serrado, no ar em “Velho Chico”, também foi um dos idealizadores do “Garota de Ipanema – o Amor é Bossa”. “Sempre que abre um novo teatro no Rio é um motivo para comemorar, né? Nós artistas vibramos muito. E eu sou o idealizador desse musical que está sendo apresentado nesta inauguração. Não fui o produtor porque estava mergulhado na novela, mas ajudei a idealizar”, falou Marcelo Serrado, que chegou ao teatro recebendo flores e comentou o momento de crise na cultura brasileira. “Um país sem cultura é um país sem identidade. É importante que a gente esteja sempre esteja fazendo coisas brasileiras como esse espetáculo que fala tanto de amor”, comentou. Ângela Vieira, Gabriel Leone, Lucinha Lins e Diogo Nogueira foram outros famosos que também passaram pelo local.

O diretor Jorge Fernando prestigiou o espetáculo (Foto: Felipe Panfili)

O diretor Jorge Fernando prestigiou o espetáculo (Foto: Felipe Panfili)

Agora, voltando a falar do espetáculo, além do casal protagonista, um elenco extremamente competente e afiado completa os cenários com dança e claro, cantando as 40 canções que fazem parte da trilha sonora da peça. Uma banda de sete músicos se encarrega de acompanhar os atores, que vira e mexe, também se arriscam em alguns instrumentos durante a apresentação. O cenário é simples, mas a atuação e as canções entoadas pelos artistas da montagem conseguem preencher todo o espaço do teatro.

Thiago Fragoso e Letícia Persiles (Foto: Felipe Panfili)

Thiago Fragoso e Letícia Persiles (Foto: Felipe Panfili)

Serviço:

Garota de Ipanema – o Amor é Bossa
Temporada: 26 de agosto a 27 de novembro
Ingressos: de R$ 50 a R$ 140
Endereço: Teatro Riachuelo – Rua do Passeio 38/40 – Centro – Rio de Janeiro – RJ
Informações: (21) 3005-3432

Pesquisas relacionadas