Música & Badalo

The Voice Brasil estreia nova temporada em outubro e Tiago Leifert adianta o que podemos esperar: “Vários socos no estômago com apresentações de tirar o fôlego”

A nova edição do programa terá duas novidades: ao lado do apresentador, Mariana Rios também terá a função de comandar as entrevistas e dinâmica do programa que, mais para o final da temporada, terá uma batalha entre os técnicos. Apesar da disputa, Claudia Leitte contou que o clima de competição entre os treinadores passa longe. "A competição só existe porque estamos inseridos em um programa que tem uma final e um prêmio. Mas não é parte da nossa rotina"

Publicado em 22 de setembro de 2016 | Por Julia Pimentel

Surpresa, expectativa e muita música. O The Voice Brasil chega a mais uma edição a partir do dia 5 de outubro. Embora a estreia seja em uma quarta-feira, devido ao jogo de futebol entre Brasil e Bolívia, a quinta temporada do programa será exibida às quintas-feiras depois de “A Lei do Amor”, próxima novela das 21h da Globo. No comando da atração musical, Tiago Leifert continua com a missão de apresentar os candidatos e acelerar a decisão dos técnicos, quando a escolha for mais complicada. Por falar neles, Claudia Leitte, Carlinhos Brown, Lulu Santos e Michel Teló permanecem na função de escolher a próxima voz do Brasil. A novidade da temporada, que foi apresentada na coletiva que rolou ontem no estúdio do programa, é Mariana Rios. Atriz, apresentadora e cantora, a mineira dividirá o comando com Tiago e contará ao público sobre a vida dos candidatos do programa.

Animada e sem esconder a ansiedade pela estreia, Mariana Rios contou que este será um momento único em sua vida profissional e pessoal. “Eu acho que eu já esperava passar por grandes emoções. Mas eu não sabia que seriam tantas e diárias. Está sendo muito importante viver o The Voice e estar com essas pessoas. Eu aprendo muito com os integrantes da família que estão acompanhando a apresentação lá de dentro naquela expectativa, com o candidato que está cantando e, principalmente, com o que os técnicos falam depois do número. É muito bom poder trabalhar com o sonho das outras pessoas. Todo mundo tem um ideal na vida. Mas o sonho de cantar é muito bonito, puro e até divino. Então, para mim, estar no meio de toda essa realidade é um privilégio”, avaliou emocionada.

Michel Teló, Lulu Santos, Mariana Rios, Tiago Leifert, Claudia Leitte e Carlinhos Brown (Foto: GShow)

Michel Teló, Lulu Santos, Mariana Rios, Tiago Leifert, Claudia Leitte e Carlinhos Brown (Foto: GShow)

E o sonho é de fato uma palavra que acompanha o programa desde o primeiro dia. Além da música, toda a fantasia e o ideal que os participantes levam para o palco do The Voice Brasil são uma preocupação dos técnicos e da produção da atração. Como destacou Tiago Leifert, esta não é uma tarefa fácil. “Mexer com os sonhos das pessoas não é brincadeira e a gente sabe disso. Eu acho que nós estamos aqui hoje, nesta quinta temporada, justamente porque acreditamos na seriedade dessa relação e que temos a chance de mudar a vida desses artistas. Todos eles saem daqui diferente de como eles entraram”, afirmou Tiago, que logo foi completado por Carlinhos Brown. “Eu acho que nesta quinta temporada do The Voice Brasil, eu e toda a equipe aprendemos bastante sobre essa relação com o ser humano e o fato de colocarmos os candidatos como o nosso amor principal. Nós, técnicos, nesta posição, vemos realizar neles  tudo o que a gente deseja para nós mesmos. É um pouco assim que a gente se comporta e que a gente se torna seres humanos melhores”, argumentou.

"Mexer com os sonhos das pessoas não é brincadeira e a gente sabe disso" (Foto: Reprodução)

“Mexer com os sonhos das pessoas não é brincadeira e a gente sabe disso” (Foto: Reprodução)

Outra novidade para a quinta temporada será uma disputa entre os técnicos. Apesar de este programa ainda ser um mistério para o público e para os próprios artistas, o diretor da atração, Creso Eduardo Macedo, adiantou que, na “Batalha Cruzada”, haverá um duelo entre candidatos de times diferentes. Embora o clima de competição esteja intensificado nesta nova temporada, Claudia Leitte garantiu que a disputa não faz parte da relação entre os técnicos. “À medida que o tempo foi passando, a gente foi aprimorando as opiniões e evoluindo como pessoa e técnico. Eu acho que a história da competição ficou ainda mais para trás em função de todo o crescimento que tivemos juntos. Quando nós sentamos na cadeira, percebemos o quanto nós temos em comum a cada programa. A competição só existe porque estamos inseridos em um programa que tem uma final e um prêmio. Mas não é parte da nossa rotina”, declarou a artista que emendou expondo o clima harmônico entre os quatro técnicos.

“A gente está muito feliz de não haver esse clima de competição entre nós. Embora saibamos que existe essa disputa, estamos vivendo em um clima de troca e emoção. E esse é mesmo o nosso objetivo. Nós queremos que as pessoas em casa recebam o melhor que nós podemos oferecer. A música é para estar a serviço do outro. Quando a gente canta, é para o nosso talento ser visto. Por isso que nós temos uma exibição interna, é natural. Ninguém aqui quer ser mais exibido que o outro, mas nós queremos ser vistos dentro do nosso esquema. Porém, eu acredito que ser visto não é o objetivo. Nossa real função no The Voice Brasil é servir”, resumiu.

Técnicos do The Voice Brasil (Foto: Reprodução)

Técnicos do The Voice Brasil (Foto: Reprodução)

Com uma trajetória que reúne diversos talentos, o programa chega a esta quinta temporada cheio de expectativas. Em um segredo geral que não permite adiantar nada do que veremos a partir do dia 5, Claudia Leitte contou que prefere não imaginar muito sobre o que será apresentando no palco no programa. “Eu confesso que gosto de ser surpreendida. Quando a gente chega aqui já esperando algum tipo de interpretação, acho que temos a chance de nos decepcionar. Por isso prefiro chegar aqui sem criar muitas expectativas. Mas é cada voz que estamos ouvindo nesta temporada. Minha nossa”, exaltou Claudia.

Sobre a qualidade vocal desta edição, Tiago Leifert completou que, mesmo depois de centenas de candidatos já terem passado pelo palco do The Voice Brasil, ainda há surpresas e novidades. “É tão legal ver que, mesmo nós estando na quinta temporada, ainda nos surpreendemos com as vozes que se apresentam. Não tem nenhum candidato que sobe ao palco e a gente relembre de alguma outra apresentação. Nesses dias que a gente já gravou, tomamos vários socos no estômago com apresentações de tirar o fôlego”, contou.

"Eu confesso que gosto de ser surpreendida" (Foto: Reprodução)

“Eu confesso que gosto de ser surpreendida” (Foto: Reprodução)

Porém, diferente do que alguns candidatos e telespectadores possam acreditar, a participação no The Voice Brasil não garante uma carreira promissora. Mesmo com toda a visibilidade, os recursos e as oportunidades que a atração proporciona aos seus candidatos, o futuro de muitos finalistas não tem a garantia estrelada. Testemunha deste processo, Lulu Santos contou sobre o caso dos vencedores da terceira edição, Danilo Reis e Rafael. “Em relação a esses cantores, eles vieram para o meu time como uma dupla de sertanejo de raiz que começou a cantar Guilherme Arantes e Samuel Rosa por recomendação minha. Eles mantinham a identidade sertaneja original deles, mas apresentaram um cruzamento. E, para mim, foi isso o que deu certo. Quando acabou o programa, eles tomaram decisões de carreira que incluíam, por exemplo, tirar a música que eu dei do disco que eles produziram. Fora que rejeitaram várias propostas de continuação de carreira que o programa oferece por acharem que tinham um caminho melhor. No entanto, seis meses depois, eles me ligaram pedindo para eu os acompanhar em um programa de televisão. E eu não fui. Então, eu acho que essa condução da carreira, depois de toda a exposição que o programa proporciona, compete aos candidatos”, detalhou Lulu. Como exemplo de participante que aproveitou ao máximo as oportunidades do The Voice, o artista citou Lucy Alves. Apesar de não ter vencido a segunda edição, a cantora, que chegou até a final, manteve a sua carreira de sucesso na música e ainda estreou como atriz em “Velho Chico”. “A Lucy é linda, talentosa e graciosa. Ela não ganhou, mas levou. Eu acho que ela é o exemplo mais claro de como o artista pode aproveitar a plataforma e, de fato, brilhar”, emendou.

Carlinhos Brown, Michel Teló, Claudia Leitte e Lulu Santos (Foto: Globo)

Carlinhos Brown, Michel Teló, Claudia Leitte e Lulu Santos (Foto: Globo)

Por fim, o diretor Creso Eduardo Macedo concluiu contando sobre a pluralidade virtual do programa. Em tempos digitais, o The Voice Brasil se alia às diferentes plataformas para manter o conteúdo online 24 horas por dia e sete dias por semana. “Continuamos atuando em multiplataformas. Então, no site do programa, nós teremos vídeos, novidades, entrevistas e muito conteúdo diariamente. Fora que também manteremos uma relação próxima com as redes sociais, que irão ajudar na relação entre o público e o The Voice”, adiantou o diretor da atração.

Pesquisas relacionadas