Música & Badalo

Exclusivo: papo com Matheus & Kauan, a dupla sertaneja que conquistou todas as gerações

Os irmãos, que fizeram uma dobradinha com o Melanina Carioca, do Vidigal, no Rio, na música “Vai que cola”, lotaram o espaço do projeto "Na Praia", em Brasília, e gravaram o DVD "Na Praia 2"

Publicado em 24 de agosto de 2016 | Por Heloisa Tolipan

* Direto de Brasília com Ana Luiza Vasconcelos e Ana Carolina Vasconcelos

A dupla sertaneja Matheus & Kauan lotou o complexo batizado Na Praia, à beira do lago Paranoá, em Brasília. “A gente escolheu Brasília porque sempre abraçou nossos projetos, desde os primeiros shows”, disse Kauan em entrevista exclusiva para HT. A festa, intitulada Praia do Rosa – uma homenagem à música “A rosa e o beija-flor” -, contou também com os cantores Thiago Nascimento e Jefferson Morais e participação de João Bosco (da dupla João Bosco e Vinícius). Os irmãos Matheus e Kauan fizeram uma dobradinha com o Melanina Carioca, do Vidigal, no Rio, na música “Vai que cola” e estão arrasando em terras cariocas e por todo o país.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Batendo recorde de público e comemorando um ano de sucesso do DVD Matheus & Kauan Ao Vivo Na Praia (gravado no complexo em 2015), eles apresentaram ao público diversos sucessos, como “Nosso santo bateu” e “Que sorte a nossa”. Os irmãos começaram a carreira há seis anos fazendo composições para outros artistas e hoje gravam suas próprias músicas que estão no top ten das paradas de sucesso. Compositor da música “O nosso santo bateu”, Matheus contou que foi composta cinco dias antes da gravação. “Transformamos em algo que tinha tudo a ver com praia e deu certo”, nos contou. Falando sobre os melhores momentos da carreira, Kauan brincou que “Mundo Paralelo” foi “o nosso primeiro filho”. E quando o assunto é o segredo do sucesso, a dupla afirma que é só trabalho e esforço querendo deixar esse legado para a próxima geração. Vamos ao nosso bate-papo:

HT – Vocês fazem parte da nova geração de compositores da música sertaneja. Qual o legado que querem deixar para a próxima geração e o que adquiriram dos seus ídolos?

MK – A gente deu início à carreira há seis anos. Começamos compondo, um dom que Deus deu de presente. E, inicialmente, assinamos composições para outros artistas. É até engraçado isso. Então, muita gente do sertanejo já gravou música nossa e hoje a gente grava as nossas próprias músicas. Mas tivemos que adquirir um espaço primeiro, um carinho do meio, para depois podermos mostrar nossa cara como artista também. E tomara que a gente esteja deixando um legado aí para a nova geração. Tem muita gente talentosa. O Brasil é um berço de talentos e nunca vai parar de nascer cantores e compositores talentosos. Esperamos que essas pessoas possam se inspirar um pouco na dupla Matheus e Kauan. A gente trabalha muito e queremos dar bons exemplos para nossos fãs e para todos que gostam do nosso trabalho. Deus permita que seja cumprido esse legado como estamos planejando.

HT – Vocês estouraram com “Mundo paralelo”, mas Kauan já estava na estrada há anos e Matheus conquistando seu espaço também. Podem nos contar a trajetória profissional da dupla? Quais os momentos mais simbólicos e quais os mais tristes?

MK – O “Mundo Paralelo” foi o nosso primeiro DVD. O primeiro filho, costumamos falar. E a gente gravou esse DVD no ano de 2013 e foi a primeira música nossa que tocou a nível nacional. Era incrível chegar no show e sentir a galera cantando. Uma emoção muito grande. Tivemos a participação de Jorge e Matheus e marcou muito na nossa carreira. Tanto que ela faz parte do repertório de nossos shows até hoje. Momentos bons que marcaram nossa carreira ocorreram durante o Caldas Country, o primeiro palco grande que a gente subiu na vida para cantar para mais de 70 mil pessoas com a música que a gente tinha composto para o evento. Momentos tristes não deixam recordações.

HT – No Festival Villa Mix vocês receberam o cantor e compositor argentino Axel, que cantou com a dupla “Amor sem medida”. Podemos considerar um ensaio para uma carreira internacional de vocês?

MK – Olha, achamos que estaríamos sendo muito pretensiosos falando que a gente já tem isso em mente. Não temos nada pensado. Estamos muito satisfeitos com o trabalho realizado no Brasil, que é um pais muito grande. Se ficássemos fazendo shows todos os dias mesmo assim não conseguiríamos ir a todos os lugares desse país.. Então, estamos muito satisfeitos com a estrada que estamos trilhando por aqui Mas se for da vontade de Deus, vamos fazer shows onde for preciso.

HT – Brasília e a orla litorânea similiar a uma paradisíaca praia foram o cenário para a gravação do terceiro DVD de vocês. Qual o motivo deste local ter sido escolhido para o DVD?

MK – Já é o segundo DVD que a gente grava aqui. Optamos por Brasília por ter um público muito legal e vários fãs. Sabemos que o público do Planalto Central gosta de Matheus & Kauan. Sempre abraçou nosso projeto, desde dos primeiros shows que a gente fez. O DVD Na Praia foi um divisor de águas na nossa carreira e graças a Deus vem Na Praia 2.

HT – O Brasil é um país rural, mas o sertanejo conquistou o público em todas as metrópoles. Qual o segredo desse sucesso?

MK – Não tem segredo, acho que a gente trabalhou muito pAra isso assim todo artista quando começa a cantar sonha fazer shows pra varias pessoas. É incrível ver a galera cantando a música da gente. Achamos que nosso trabalho foi abençoado por Deus. Fizemos as coisas certas para acontecer esse sucesso todo. Esperamos que dure por muito tempo o que é maravilhoso.

HT – “O nosso santo bateu” é uma das músicas mais tocadas no país e teve 100 milhões de views no Youtube. Qual a história dessa música?

MK- Essa música foi composta por Matheus cinco dias  antes dessa gravação do DVD. Então, foi algo bem corrido, assim como “Decide aí”, “Incerteza” e outras músicas que a gente teve muito pouco tempo para fazer. E deu super certo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

SOBRE O PROJETO NA PRAIA

O sonho foi realizado! Deu praia em Brasília em 2015! Com mais de 4 mil metros quadrados, o complexo Na Praia foi um dos grandes destaques no cenário de eventos de Brasília no último ano. A boa nova para o público da capital é que não acabou! Em 2016 vai ter mais Na Praia e dessa vez a meta é outra: apresentar ao público a praia dos sonhos. Para isso, o complexo será montado na orla do Lago Paranoá no período de 09 de julho a 28 de agosto, com capacidade de público aumentada em 30%. Na abertura, neste sábado, 9, a Banda Eva se apresenta na festa Bomfim.

O grande desafio do ano é superar as expectativas. Para isso, as empresas R2 Produções, Medley Produções, Verri e Verri Produções e Agência Nout apresentam uma série de novidades! A primeira grande surpresa é que o complexo agora será dividido em três áreas: uma infantil, outra para esportes e uma terceira para festas e shows.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A programação do espaço também ganhou um plus. Agora, o projeto será aberto durante toda a semana, com a seguinte divisão:

Segunda a sexta-feira: colônia de férias para crianças durante as três primeiras semanas do projeto Na Praia, com funcionamento das 14h às 18h de segunda à quinta, e das 8h ao meio dia na sexta-feira. A colônia de férias tem os seguintes valores em 1º Lote: R$ 395 (uma semana), R$ 670 (duas semanas) e R$ 980 (três semanas);

Terças e quartas-feiras do mês de agosto: será realizado o Na Praia Social, voltado para crianças e adolescentes carentes de instituições parceiras, com expectativa de atender mais de 6 mil pessoas;

Terça a domingo: a academia pocket Cia. Athletica fica à disposição do público com aparelhos para musculação, das 7h às 22h. Junto dela, uma lanchonete Mundo Verde para auxiliar os que querem manter a forma.

Quintas-feiras do mês de agosto: as noites de quinta (18h30 às 23h) serão voltadas ao projeto Na Praia Cultural. A cada semana, um estilo de música instrumental receberá homenagem por parte de um artista da cidade, que se apresenta ao lado de músico de expressão nacional. Haverá espaço para o Blues, o Jazz, o Chorinho e o Rock. Além da música, o stand up comedy ganhará apresentações de suas maiores expressões, ao lado de exposições artísticas e oficinas de gastronomia apresentadas por grandes chefs brasilienses. A programação do Na Praia Cultural terá ingressos sob o valor de R$ 20 (meia-entrada);

Sextas-feiras: dia de reunir os amigos. O complexo abre no horário do almoço com menu exclusivo no restaurante flutuante. À noite, como já ocorreu na primeira edição, o projeto oferece animados Happy Hours. Toda semana, um DJ convidado anima o público e o bar fica aberto com boas opções de drinks. Nesse ano, a novidade é que a noite se estende até às 4h da manhã, em formato parecido com o já realizado em alguns restaurantes do Brasil. Entre os convidados para embalar as noites, as bandas Diamond Rock, Vital, Bell Lins, La Belle, O Bando e várias outras.

Sábados: as manhãs serão reservadas para atividades esportivas. Dessa vez o projeto não se restringe ao treinamento funcional e abre espaço para outras modalidades, como cross fit, futevôlei, entre outras atividades. A arena também receberá eventos esportivos diversos. Já as tardes e noites de sábado são reservadas para as festas e shows (programação detalhada abaixo);

Domingos: é dia de praia! Como novidade, o complexo ganha uma área própria para a criançada, que inclui brinquedos aquáticos e espaços para diversas atividades. Para os adultos, além da possibilidade de botar o pé na areia, tomar sol e curtir um dia de praia, boa gastronomia e esportes. No fim da tarde rola o projeto Som Na Praia. Esse ano com novidades, o Som Na Praia virá com atrações para todos os gostos. Se no último ano os domingos já terminavam em alto astral com a união de Surf Sessions e Camafeu, dessa vez, além dos brasilienses, o complexo receberá grandes nomes. Rodrigo Lampreia, Toni Garrido, JauPeri, Tuca Fernandes, Filhos de Jorge, Circuladô de Fulô, Digão (Raimundos) e Breno Gontijo animarão os inícios de noite de domingo, dando boas vindas à semana em alto astral.

A parte gastronômica também ganha novidades. Um dos chefs de maior prestígio na Capital, Marcelo Petrarca, foi convidado a assinar os cardápios e gerir tanto o restaurante do Na Praia – que ganhou o nome de Bloco C Na Praia – quanto o Bar da Corona. No cardápio, foco na cozinha mediterrânea e nos frutos do mar, a exemplo do Ceviche de peixe branco, da Moqueca e da porção de ostras frescas.

Além do restaurante Bloco C, com cardápio especial e do Bar da Corona, com petiscos assinados pelo Chef Marcelo Petrarca, várias operações gastronômicas estarão à disposição do público. Tapiocaria Raízes do Sertão, Açaí Artesanal, Pizzaria Baco, Parrilla Madrid, Mercado 153, Nazô, Acarajé da Sônia, DNA Natural, Kafta da Mama, Mr. Brownie e Vai Bem funcionarão de sexta a domingo, enquanto o complexo estiver aberto. Para quem for curtir um domingo de praia, ambulantes oferecerão churrasquinho, milho verde, biscoito Globo, Mate, água de coco e outras delícias tipicamente praianas.

Outra grande novidade é que o Na Praia ganha uma pocket academia dentro de sua estrutura. Assinado pela Cia Athletica, o espaço contará com aparelhos de musculação, aulas coletivas da grade horária da matriz, além de aulas de treinamento funcional e aulas coletivas do Grupo Lifestyle. O funcionamento será de terça a sexta, das 7h às 22h, e sábados e domingos das 8h às 12h.

Para quem já curtia bater uma bolinha aos domingos, a programação continua. Futvôlei, vôlei de praia, altinha e outras modalidades estarão à disposição. Para os fãs de esportes aquáticos, SUP, wakeboard, caiaque e outras novidades. O Na Praia 2016 conta com aplicativo exclusivo, no qual é possível acompanhar programação, informações sobre o complexo, comprar ingressos e tirar dúvidas. O app Te Vejo Na Praia está disponível para IOS e Android.

 

MAIS TECNOLOGIA

O projeto Na Praia 2016 também vem com novidades no quesito tecnologia. Visando melhorar ainda mais a experiência do público (frequentadores e não frequentadores), a produção optou por um sistema de som diferenciado, o cardioide, que otimiza os graves para a área interna do complexo, permitindo a saída de pouquíssimo ruído. Assim, os condomínios dos arredores do evento não terão impacto sonoro e o público poderá aproveitar ainda mais potência.

 

SUSTENTATIBILIDADE

Como no último ano, o projeto Na Praia investe em ações de sustentabilidade visando mínimo impacto ambiental. Assim, boa parte da madeira utilizada no complexo vem de reflorestamento e existe grande quantidade de materiais reutilizados, tais como paletes. Além disso, foi construído um deck de contenção em toda a margem do projeto, para evitar assoreamento do Lago Paranoá.

 

O projeto Na Praia conta com patrocínio da Amil, BRB, Corona, Riachuelo e Vivo e apoio da Confere, Copertone, Emplavi, FlexDeck, Inti, Mundo Verde, Rede dos Cosméticos, VoeTur e ESuítes LakeSide Brasília. A expectativa da produção é receber mais de 120 mil pessoas nos dois meses de funcionamento. Vai dar praia de novo! E dessa vez, será a PRAIA DOS SONHOS.

 

Pesquisas relacionadas