Gente & Comportamento

Morre a diva das divas Elke Maravilha: o legado que a estrela vai nos deixar e as últimas entrevistas

As lembranças das melhores frases, das histórias, do ponto de vista repleto de atitude. "A beleza dos animais me atrai. As onças, leões, pavões, cobras. Os deuses estavam pouquíssimo animados quando criaram o ser humano, esse macaco pelado”. E as fêmeass são tãoooo sem gracinha, os machos sempre são mais interessantes, vide a juba do leão e a cauda do pavão. O bicho-homem tem muito a aprender com a natureza, mas observa menos do que deveria” , dizia

Publicado em 16 de agosto de 2016 | Por Heloisa Tolipan

O Brasil inteiro que acompanhava o estado de saúde de Elke Maravilha internada há mais de um mês na UTI da Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras, sofreu um baque hoje, por volta de 1h, com a notícia da morte de uma das atrizes mais performáticas que esse país já teve.

Depois de ter recebido alta no dia 30 de junho, a atriz de 71 anos precisou voltar a ser entubada às pressas no hospital da Zona Sul do Rio, após ser submetida a uma cirurgia para tratar de uma úlcera. Ela estava em coma induzido para se recuperar da operação. Batizada como Elke Georgievna Grunnupp, a artista nasceu em São Petersburgo e veio para o Brasil ainda criança. Elke, que também tinha nacionalidade alemã, acumulava trabalhos no cinema, na televisão e no teatro.

Meu último encontro com a diva foi na edição Verão 2016 do Minas Trend, realizada no Expominas, em Belo Horizonte, em abril do ano passado. Elke estava de mãos dadas com Paulo Martinez, diretor do desfile de abertura do evento de moda mineira. O flagra foi a caminho do camarim de Lucas Magalhães  de quem se diz fã inveterado e que já fez figurinos para a diva. Com aquela delicadeza e humor ela dizia: “Amores, a melhor coisa do mundo é beijar na boca. E fazer sexo faz um bem danado para a pele”, mostrando a tez. Os fotógrafos registraram o encontro ao lado do estilista e de Patricia Bonaldi. E no bate-papo, Elke ainda completou: “Estou com 70 anos, mas estou bem. Como dizia o Itamar Assumpção, quando você tem sessenta, você tenta. Quando tem setenta, você senta”.

O lorde Paulo Martinez e a diva das divas Elke Maravilha (Foto: Henrique Fonseca)

O lorde Paulo Martinez e a diva das divas Elke Maravilha (Belo Horizonte – Foto: Henrique Fonseca)

Em seguida, ela foi a sensação na sala de desfiles na front row. Até Gloria Kalil quis tirar um selfie ao lado da diva, que já participou de filmes importantes no cinema nacional como “Xica da Silva” (de Cacá Diegues, 1976) e “Pixote” (de Hector Babenco, 1981), além de ser retratada como ela mesma em outros como “Zuzu Angel” (de Sergio Rezende, 2006, na pele de Luana Piovani) e em peças como “Chacrinha – o musical” (de Andrucha Waddington, no qual foi interpretada por Mariana Gallindo).

Lucas Magalhães, Patrícia Bonaldi e Elke Maravilha (Belo Horizonte - Foto: Henrique Fonseca)

Lucas Magalhães, Patrícia Bonaldi e Elke Maravilha (Belo Horizonte – Foto: Henrique Fonseca)

O site HT perguntou ainda para Elke qual o segredo para se manter neste estilo único por décadas, sem precisar se render ao fast fashion e à mesmice da moda ditada por vitrines pasteurizadas?” A resposta foi rápida: “Nunca me rendi a nada, e pensam que eu tenho a ver com os hippies dos anos setenta, nada disso. Meu lance, já naquela época, era ser punk”. e não parou por aí: “Tenho uma ligação muito forte com o aspecto artesanal da moda que é feita por aqui, com essa coisa rica. Por isso estou adorando o Minas Trend”.

E, sobre suas inspirações na moda, ela se dizia felina: “a beleza dos animais me atrai. As onças, leões, pavões, cobras. Os deuses estavam pouquíssimo animados quando criaram o ser humano, esse macaco pelado”. E as fêmeass são tãoooo sem gracinha, os machos sempre são mais interessantes, vide a juba do leão e a cauda do pavão. O bicho-homem tem muito a aprender com a natureza, mas observa menos do que deveria”.

Elke, a eterna performática, que criou um estilo único nesse país. E eternizado

Elke, a eterna performática, que criou um estilo único nesse país. E eternizado

Em recente entrevista ao SBT, Elke abriu o coração a começar pelos seus casamentos, sempre marcados pelo carimbo de amores livres. “Minha vida não é dirigida pelo meu cérebro. É pelo meu coração, pelo meu sentimento. Fui casada oito vezes. O homem não é uma propriedade minha. Não é uma coisa, é um ser humano”, disse. E também sobre a ausência de filhos nessas mais de sete décadas de existência. “Tenho muitos arrependimentos. Deveria ser melhor em algumas situações e piores em outras. Só evoluindo é que viramos alguém nessa vida. Fiz um aborto, pois não saberia educar uma criança. Nunca pensei, só agi. Eu ia fazer um monstro. Ser bonzinho com a criança é o pior caminho”, falou, emendando: “Nessa educação hipócrita que temos, não conseguimos ser tão bons nem tão maus. Não conseguimos ser nada”.

Ela foi sabatinada por Thammy Miranda, Ciça Camargo, Sheila Mello e Antônia Fontenelle, e disse que também gostava “de ser provocada” porque “só assim que a gente cresce”. “O cérebro traz memórias horríveis, traz mágoas, raiva e ódio. Meu pai me provocava bastante”. Falando em paternidade, aliás, era essa, mais ou menos, a relação que ela tinha com Chacrinha, que nos deixou em 1988. “Painho era a melhor pessoa do mundo. Era um gênio. Era uma pessoa boníssima, libertaria e libertadora. Ele não tinha preconceito com nada”, lembrou. Fazendo questão de dizer que sua “proposta nunca foi ser rica” e que, na real, quer “ser rica de sabedoria”, Elke Maravilha ainda confessou: “Eu gosto quando me chamam de má, de bruxa. Eu mostro o que sou, eu não disfarço nada”. Palavras de quem também disse ter saudade do futuro, porque “passado foi” e ela não queria voltar para ele. Por fim, ela ainda soltou: “Meu maior defeito é ser preguiçosa e minha maior virtude também”.

Pesquisas relacionadas

  • Arthur Souza da silveira

    SAUDADE DESSA PESSOA MARAVILHOSA………

  • maria geni ventura

    Maravilhosa, irreverente,culta, inteligente,sincera,amante da natureza, observadora, generosa, verdadeira….enfim poderíamos elencar centenas de elogios mais também de defeitos, pois como ela dizia: “Só evoluindo é que viramos alguém nessa vida” Olha criança, seguindo sua maneira de falar, vai para junto daqueles que a esperam em outra esfera neste universo. Hoje a classe artística sente sua partida, mas o paraíso está em festa, pois chegou a alegria eterna…CHEGOU ELKE MARAVILHA!!!!!

  • andre

    Essa sim fará falta ao Brasil, que mulher. Tenho a tristeza de saber como o Brasil está ficando cada dia menos educado, menos sábio e menos libertador, saudades eterna e como dizia Elke, “Foi se divertir em outras lugares.”